segunda-feira, 21 de agosto de 2017

ECLIPSE (parcial) DO SOL


A ter havido não foi possível vê-lo aqui em Peniche. À hora prevista havia denso nevoeiro e não apareceu qualquer sombra da Lua. Foi a imagem possível.


AO QUE PENICHE CHEGOU.


Com 74 anos de vida nunca assisti a uma tamanha rebaldaria com o trânsito no Centro de Peniche. Além de caótico agora ficou perigoso. Apenas três situações;

1ª – Que deve fazer um taxista quando pretende estacionar no lugar a eles destinado e o mesmo está continuadamente ocupado? 
2º Que devem fazer os automobilistas quando um veículo pesado se atravessa à sua frente para estacionar em contramão?
3º Que devem fazer os automobilistas quando o carro um carro se atravessa à sua frente para estacionar passando o traço contínuo?
A resposta é-nos dada pelo Código de Estrada, ou talvez não.
P.s. Dou conhecimento à Câmara Municipal de Peniche e à PSP local.


 

 

domingo, 20 de agosto de 2017

XVIII CORRIDA E CAMINHADA NA PRAIA.


Decorreu hoje na Praia Norte de Peniche, com partida e chegada à Praia da Camboa, num total de 7 km, a XVIII Corrida e Caminhada na Praia. Pelas imagens percebemos da grande participação, não só pelos que vão correr como também daqueles que, em boa camaradagem, vão passear.







 
video
 
 

 

sábado, 19 de agosto de 2017

PESCADORES RESGATADOS.


Quatro pescadores desportivos numa embarcação semi-rígida junto a São Bernardino foram resgatados pelas 14 horas, pelo SR44 da Estação Salva Vidas de Peniche, comandada pelo Patrão Jacinto Neves e pelo Marinheiro Francisco Alves. Estes pescadores viram a sua embarcação desagregar-se, ficando agarrados aos flutuadores enquanto o casco ia para o fundo. O SR44 recolheu os náufragos e a embarcação Marítimo-Turística Mestre Inácio trouxe o casco a reboque. À chegada a Polícia Marítima tomou conta da ocorrência.









 

ASSIM SE CUIDA DOS NOSSOS BOMBEIROS.


Um dos elementos dos B. V. de Peniche em ajuda aos fogos em Mação ficou ferido na madrugada de 5ªfeira tendo sido deslocado para o Hospital de Abrantes logo que as estradas o permitiram, com a ajuda de batedores da GNR. Depois das mais variadas peripécias e não obstante a presença e actuação do Cmt dos B. V. de Peniche e da Liga dos Bombeiros, o bombeiro ferido é transferido para Lisboa, para o Hospital de São José afim de ser intervencionado. Hoje Sábado após já terem sido marcadas por 3 ou 4 vezes as intervenções cirúrgicas, acabo de saber que uma das vezes foi adiada por falta de um médico, a segunda vez por falta de médico e após ter-se conseguido a equipa médica não se efectuou a respectiva cirurgia por falta de bloco. Garanto que isto não faz parte de um qualquer roteiro cinematográfico. Isto é muito sério, sério demais para se andar a jogar com a saúde e bem-estar de um Bombeiro Voluntário.
 

"PENICHE A FLORIR" SUCUMBIU.

Se dúvidas houvesse as confirmações são tantas que até dói o coração. Pouco falta para Peniche parecer um deserto. Alguém neste município odeia a natureza e tudo tem feito para que esta Cidade pareça um deserto. Destruíram palmeiras, não repuseram qualquer arvoredo, Peniche primava pelo seu jardim e pelos seus canteiros e neste momento até os canteiros espalhados por Peniche estão vazios. Uma tristeza. Os Penicheiros mereciam melhor sorte. Alguns “confrades” dirão que só sabemos dizer mal. Provem-nos o contrário ou, pelo menos, justifiquem com trabalho, aquilo que ganham. Peniche não é, nem nunca foi uma feira de vaidades.

 

sexta-feira, 18 de agosto de 2017

TERRA DO VALE TUDO.


Isto está a atingir todos os limites aceitáveis na vida de uma sociedade. São pesados e ligeiros a estacionar em contramão na Praça Jacob Rodrigues Pereira, são as constantes entradas em contramão nas ruas do Centro da Cidade, são os estacionamentos em cima dos passeios e das placas centrais e, para não mudar de assunto, é o estacionamento de um reboque acorrentado, há semanas, a um sinal de trânsito, ignorando todas as leis pelas quais somos obrigados a cumprir. O Município até colocou baias junto ao sinal para desincentivar o estacionamento por causa da recolha do lixo. Só falta fazer cumprir.


 

A/C DA DOCAPESCA.

Voltamos ao desleixo do Molhe Oeste. Desta vez os maiores reparos vieram daqueles que por ali passeavam com as suas crianças. Como nada proíbe um bom passeio junto ao mar durante a noite, em particular durante as Festas de Nª Sª da Boa Viagem, a haver um qualquer acidente ir-se-á de imediato reparar, como de costume. Que tal uns baldinhos de uma qualquer argamassa? É baratinho e não dá muito trabalho.




 

quinta-feira, 17 de agosto de 2017

BOMBEIRO DE PENICHE ACIDENTADO.

Neste gravíssimo momento que o País atravessa assolado por fogo, maioritariamente criminoso, quero dar uma palavra de conforto e de agradecimento a todos os Bombeiros Voluntários, em particular aos de Peniche que estão em Mação. Para todos eles um forte abraço e em particular um especial abraço, as nossas orações e os nossos desejos para que a cirurgia que se aproxima decorra pelo melhor. O Zé Santos, bombeiro da nossa Cidade, acaba de partir um maxilar e será sujeito a uma cirurgia muito em breve.
 

QUE MAL FIZEMOS NÓS?

Tenho que chegar à conclusão que esta população de Peniche deve ter feito alguma coisa mal feita, algures no tempo, pagando agora esse erro. A pergunta faz todo o sentido, senão vejamos; se quisermos fazer um evento como este nas Caldas da Rainha, assistir a um filme, a um teatro, a um concerto, uma revista, se quisermos ver algumas Exposições que não algumas daquelas “lamechices” do costume, se quisermos fazer uma Feira do Mar, se quisermos fazer uma mostra gastronómica, se quisermos mostrar as nossas rendas em grande, se quisermos mostrar a Escola de Dança, onde é que tudo isto pode ser feito sem estarmos sempre condicionados ao tempo, se faz demasiado calor, se chove, se faz frio? Aqui mesmo à nossa porta, nas nossas Freguesias existem alguns Pavilhões, na sede do Concelho ninguém até aos dias de hoje teve o discernimento de pensar nestas pequenas “coisas”. Gente que levou anos e anos a trabalhar a sua imagem e o único resultado final bom para Peniche, depois de tudo espremido, foi surf e rendas. Parafraseando o “Quiosque”: “o que não se faz no dia de Santa Maria faz-se noutro dia”. O problema é que Peniche tem sido governado como se fosse sempre dia de Santa Maria.
 









 

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

SALVA-VIDAS PENICHE VANDALIZADO.


Se dúvidas houvesse, ficam agora completamente esclarecidas. Não foi por falta de aviso, mas sim pela pressa em querer mostrar o que esteve fechado e tapado durante largos anos e só porque a isso foram obrigados. Colocar esta embarcação em cima de cepos já foi uma afronta, convidar estes energúmenos ao vandalismo é não conhecer esta Cidade ou fazer ouvidos moucos. Prometer um “berço” para esta emblemática embarcação e até ao momento não a ter apresentado, agora que as Festas em Honra de Nª Sª da Boa Viagem já terminaram, é pura propaganda e desconsideração para com a população de Peniche. Para piorar a situação e declaro já que não acredito que a Autoridade Marítima tenha conhecimento, foi colocado um “”cartaz”” que em nada dignifica esta situação. Já chega de tanta penicheirada. Peniche e os Penicheiros merecem melhor.


 

FACTOS, SÃO FACTOS 14.


Uma das coisas boas que existem no nosso sistema de saúde é a possibilidade de podermos fazer marcações online sem termos a preocupação de ir para as bichas aguardar a nossa vez. Era, até há uns tempos atrás, a realidade neste Centro de Saúde de Peniche. Digo “era” porque, vá-se lá saber porquê, de há uns tempos a esta parte a resposta dada pelo sistema é a de que «ESTE CENTRO DE SAÚDE JÁ NÃO TEM TIPOS DE CONSULTA/PROGRAMA CARREGADOS?» E agora, voltamos à Idade da Pedra? Só que por telefone é para esquecer. Até nisto Peniche tinha que ser diferente. Malapata dos Penicheiros.


 

terça-feira, 15 de agosto de 2017

FACTOS, SÃO FACTOS 13.

Foi a hora de regressar aos factos. Porquê? Porque acontecem coisas tão mirabolantes que, quando nos perguntam o porquê, ficamos sem saber responder. Quando se entra/sai de Peniche pela Avenida Monsenhor Bastos ficamos com uma sensação estranha. É uma longa e bonita avenida na qual o visitante e nós próprios podemos ver de um lado as dunas de areia fina e do outro lado blocos habitacionais que não desfeiam esta avenida. O problema está no arranjo urbanístico. Se entramos temos logo à nossa esquerda uma péssima imagem daquela espécie de arvoredo e logo a seguir arvoredo semelhante mas bem tratado. Ou seja; de um lado da avenida é Peniche como todos nós ambicionamos que o seja, para uns metros à frente ser a montra do completo desleixe urbanístico. Queremos um e abominamos o outro, cabendo a quem de direito escolher qual a solução que mais gosta. Até tenho medo só de pensar.